Banco Central da República Dominicana analisa fluxo de turistas

1024 576
Travel2Latam
Travel2Latam
https://po.travel2latam.com/nota/56063-banco-central-da-republica-dominicana-analisa-fluxo-de-turistas
Banco Central da República Dominicana analisa fluxo de turistas
Ter 03 de setembro de 2019

Entre janeiro e julho, a América do Norte (2,6%), a América Central e o Caribe (3,2%) lideram com um ligeiro aumento de visitantes no país do Caribe


O Banco Central da República Dominicana (BCRD), ao analisar o fluxo acumulado de turistas no período de janeiro a julho de 2019, segundo as regiões de residência, observa que se observa que 63,1% dos visitantes chegaram da América do Norte , 20,9% da Europa, 11,7% da América do Sul, 4,0% da América Central e do Caribe e os 0,3% restantes da Ásia e do resto do mundo.

Durante os primeiros sete meses de 2019, a chegada cumulativa de estrangeiros não residentes da América do Norte mostra um crescimento anual de 2,6%, equivalente a 56.575 visitantes adicionais, a maioria dos Estados Unidos da América (52.937) e do México (7.937).

O Infotur Dominicano, ao fazer a comparação com os sete meses de 2018, apresenta um crescimento de 7,8% em relação a janeiro-julho de 2017 da América do Norte, ou seja, 158.887 visitantes adicionais, a maioria dos Estados Unidos Estados Unidos da América (112.191) e Canadá (44.811), num total de 2.190.355 turistas que chegam dessa região.

Aqui você pode verificar parte da queda na chegada do principal mercado turístico da República Dominicana.

O afluxo de passageiros da América Central e do Caribe apresentou um aumento de 3,2%, com uma contribuição em termos absolutos de 4.375 turistas adicionais, destacando os de Porto Rico com 5.399 visitantes adicionais.

A Europa como região emissora apresenta uma redução acumulada de 49.333 passageiros (-6,2%) no período de janeiro a julho de 2019, principalmente como resultado das reduções experimentadas em visitantes da Inglaterra (-19.254), Alemanha (-13.968), Rússia (-8.401), França (-5.778), Suécia (-4.664), entre outros.

Na mesma ordem, a América do Sul registrou uma queda de 27.539 passageiros (-6,2%), em grande parte devido à redução na chegada de viajantes residentes na Argentina (-22.550), Venezuela (-10.599) e Brasil (-4.978) , que não pôde ser compensado pelos aumentos no afluxo de turistas do Chile (4.934), Colômbia (3.574), Bolívia (2.143), Peru (1.166) e Equador (927).

O BCRD ressalta que é importante destacar que a queda apresentada no afluxo de turistas estrangeiros se deve essencialmente à infeliz campanha da mídia sobre alguns eventos infelizes ocorridos a turistas dos Estados Unidos da América em alguns hotéis do país durante a primeira metade do ano. ano de 2019, o que causou cancelamentos nas reservas aéreas programadas pelos americanos para viajar para a República Dominicana. As condições econômicas e o baixo crescimento de alguns países emissores na Europa e na América do Sul também afetaram.

A chegada de passageiros não residentes durante o mês de julho de 2019, segundo regiões de residência, reflete que 57,2% dos visitantes chegaram da América do Norte, 22,4% da Europa, 13,1% da América do Sul, 7,0% da América Central e do Caribe e os 0,3% restantes, da Ásia e do resto do mundo. Em particular, os países que mais se destacaram em termos de visitantes adicionais no mês de julho foram Espanha (2.082), França (898), México (743), Trinidad e Tobago (433), Equador (427), entre outros.

visitas

¿Gostaste da nota? ¡Compartilha-a!

tendências
O que nossos leitores estão a ler neste momento

Você pode continuar lendo ...