Cotelco pede ao Congresso colombiano que aprove a Lei de Financiamento

1024 576
Travel2Latam
Travel2Latam
https://po.travel2latam.com/nota/56833-cotelco-pede-ao-congresso-colombiano-que-aprove-a-lei-de-financiamento
Cotelco pede ao Congresso colombiano que aprove a Lei de Financiamento
Seg 21 de outubro de 2019

O presidente da Associação de Hotelaria e Turismo da Colômbia propôs a aprovação do novo projeto da Lei de Financiamento de Blocos e, assim, conseguir cumprir o mandato do Tribunal


Antes da decisão do Tribunal Constitucional de declarar a não elegibilidade da Lei de Financiamento, o presidente da Associação de Hotelaria e Turismo da Colômbia - Cotelco, Gustavo Adolfo Toro, propôs ao Congresso da República, no âmbito do Congresso Nacional de Hospitalidade 2019, processe e aprove o novo projeto da Lei de Financiamento em Bloco e, assim, possa cumprir o mandato do Tribunal para começar a entrar em vigor a partir de 1 de janeiro de 2020.

“Com a Cotelco, queremos expressar nosso apoio nesse processo, convencido como você, de que uma carga tributária menor para as empresas resultará em mais empregos e desenvolvimento econômico para o país. Seria importante, Sr. Presidente, que este projeto fosse processado como um bloco. Espero que não seja aberto o espaço para uma discussão que evite cumprir o prazo de 31 de dezembro de 2019, concedido pelo Tribunal Constitucional para o novo procedimento ”, afirmou o presidente executivo da Cotelco.

E acrescentou: “A decisão do Tribunal Constitucional de declarar a ilegibilidade desta Lei é um golpe não apenas para os propósitos que você estabeleceu no seu programa de governo, mas para a estabilidade legal e econômica do país. No entanto, o Tribunal respeitou as situações jurídicas consolidadas e deixou a porta aberta para que esta Lei seja processada novamente.

O presidente da Cotelco também expressou o apoio de todo o setor hoteleiro para corrigir o vício constitucional que o Tribunal Constitucional indicou na Lei de Financiamento.

“Presidente, você neste Congresso Nacional de Hospitalidade está no meio de 920 amigos, orgulhosos da representação que fazem do nosso país e do compromisso que ele tem com a indústria. Nestes momentos difíceis, estamos acompanhando-o. Todos os empresários reunidos aqui estão fechando fileiras com o governo para apoiá-lo no que deveria ser o processo dessa nova lei de financiamento que foi tão importante para a indústria colombiana de negócios e hotelaria ”, disse Toro.

Por sua parte, o Presidente da República enfatizou que a decisão do Tribunal Constitucional sobre a Lei de Financiamento foi tomada de maneira, mas não em substância, de modo que, em meio ao apoio do setor hoteleiro, a processar novamente a Lei de Financiamento no Congresso da República, destacou os benefícios gerados pelos artigos para o setor.

“Precisamos que a Lei de Financiamento seja mantida, porque ela também é uma lei para o desenvolvimento de hotéis na Colômbia, que estendeu os benefícios por mais 20 anos e também busca que a Colômbia tenha mais competitividade e também os benefícios dos centros de convenções. os parques temáticos ”, afirmou o presidente da República, Iván Duque Márquez.

"Pensando em uma integração em busca de turismo, esta é a ocasião de informar que as decisões do Tribunal são seguidas, é claro, mas também há uma vantagem, e é que a decisão do tribunal não se baseou na substância da lei, mas sobre uma circunstância no processo legislativo, que claramente deixa claro em seu pronunciamento, que a lei está em vigor até dezembro do ano de 2019 e nos dá um tempo razoável para que possamos aprovar a regra a tempo. A lei já está em vigor até 31 de dezembro de 2019, o que precisamos é que a mesma lei seja efetiva a partir de 2020 e que não haja espaço para controvérsia política, porque já foi aprovada pelo Congresso com a inclusão de muitos bancos "Ele acrescentou.

“Essa lei não é para satisfazer qualquer capricho do presidente; cabe à Colômbia continuar crescendo e permanecer mais competitiva, para que a Colômbia continue a gerar mais emprego e ter mais clareza no investimento. Por isso, solicitei à equipe jurídica da Presidência e do Ministério das Finanças que apresentasse rapidamente o projeto e concluísse o processo das eleições em 27 de outubro. Podemos dar a todos, com patriota e urgência, a certeza jurídica de que Você precisa do país e seguir em frente. Essa lei já demonstrou seus benefícios incontroversos. Quero dizer prontamente que, ao primeiro sinal, é que a economia colombiana neste ano cresce acima de 3%, quando a América Latina crescer 0,5% ”, afirmou o Presidente da República.

visitas

¿Gostaste da nota? ¡Compartilha-a!

tendências
O que nossos leitores estão a ler neste momento

Você pode continuar lendo ...