Banco Mundial apresenta relatório sobre infraestrutura ambientalmente sustentável

1024 576
Travel2Latam
Travel2Latam
https://po.travel2latam.com/nota/55879-banco-mundial-apresenta-relatorio-sobre-infraestrutura-ambientalmente-sustentavel
Banco Mundial apresenta relatório sobre infraestrutura ambientalmente sustentável
Qua 21 de agosto de 2019

O relatório sugere três pontos-chave para reconciliar as demandas por conservação ambiental na América Latina e no Caribe


Como os países da América Latina e do Caribe podem construir a infraestrutura de que precisam sem prejudicar o meio ambiente?
Esta não é uma questão menor para a região, onde 25 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e 96 milhões não possuem serviços de saneamento básico. Esta crise ocorre no mesmo território que abriga 34% das espécies da flora e 27% das espécies de mamíferos do mundo.
Um novo relatório do Banco Mundial sugere três pontos-chave para reconciliar as demandas por conservação ambiental e a necessidade de infraestrutura dos países:

Aproveite cada centavo
"Gastar mais." Esta tem sido uma resposta simples e constante ao longo dos anos para resolver os desafios de infraestrutura dos países da América Latina. A partir daí, a conversa concentrou-se em atrair mais recursos financeiros, especialmente do setor privado, para alcançar os objetivos propostos. No entanto, gastar mais é insuficiente.
Como os recursos disponíveis são alocados e a escolha de objetivos e métricas são aspectos igualmente importantes na solução de falhas de infraestrutura. Segundo estudos do Banco Mundial, para lidar com essa lacuna, a região terá que alocar, em média, 4,3% do PIB anual entre 2015 e 2030.
Um estudo detalhado nos setores mais relevantes (água e saneamento, eletricidade, transporte, irrigação e proteção contra chuva) revela que os dois fatores mais importantes em termos de custo são os objetivos de cobertura e qualidade e eficiência nos gastos.
Para melhorar a eficiência no uso de recursos, é essencial melhorar os mecanismos complementares de aquisição, planejamento e execução. Da mesma forma, devemos aproveitar os benefícios das novas tecnologias que, por exemplo, permitem a descentralização dos serviços. O relatório observa que políticas inteligentes desse tipo podem reduzir os custos econômicos pela metade.

Amigável ao meio ambiente
Há outra limitação além da econômica quando se tomam decisões de infraestrutura: em 2015, os países da região adotaram o Acordo de Paris, que concordaram em trabalhar para limitar o aumento da temperatura global a menos de 2 graus Celsius. Ou seja, eles precisam agora procurar soluções de infraestrutura que lhes permitam atingir seus objetivos e, ao mesmo tempo, permitir que eles atinjam seus objetivos para conter a mudança climática.
O estudo do Banco Mundial oferece boas notícias: alternativas de infraestrutura compatíveis com descarbonização e proteção ambiental não são necessariamente mais caras do que aquelas com maior poluição.
Em algumas áreas-chave, como o acesso à energia, a América Latina tem bons resultados para destacar. A região alcançou um acesso quase universal, atingindo 90% no Peru e na Bolívia e quase 100% no resto dos países. Além disso, o uso de carvão para geração de eletricidade é o menor em comparação com outras regiões do mundo. Mesmo alguns países como Paraguai, Brasil e Colômbia produzem mais de 60% de sua energia a partir de fontes renováveis.
De qualquer forma, a proteção do meio ambiente requer monitoramento constante para enfrentar novos desafios, como a rápida urbanização, que está acelerando a demanda de eletricidade não apenas na região, mas em todo o mundo. Ao mesmo tempo, a redução no custo das tecnologias renováveis ​​exige que os tomadores de decisões de políticas públicas estejam atentos aos desenvolvimentos no setor.

Constância
A terceira chave tem a ver com operação e manutenção, um desafio raramente incorporado ao decidir sobre uma estratégia de investimento. Por exemplo, no setor de água e saneamento, os custos de operação e manutenção, na maioria dos casos, excedem os custos de capital. No caso do transporte, a manutenção é quase equivalente ao investimento realizado.
É fundamental garantir uma fonte de recursos que permita a correta operação e manutenção ao longo do tempo, a fim de preservar a infraestrutura, uma vez desenvolvida. Isso pode acontecer por meio de instituições de controle, fontes de financiamento específicas ou taxas mais altas que evitam perdas.
A manutenção correta, um desafio maior do que apenas a abertura de um trabalho, gera, por sua vez, economias significativas, reduzindo o custo total de infraestrutura de transporte e água em mais de 50%.

visitas

¿Gostaste da nota? ¡Compartilha-a!

tendências
O que nossos leitores estão a ler neste momento

Você pode continuar lendo ...